Trabalhadores aprovam estado de greve em defesa do emprego na Ford Taubaté

Os trabalhadores na Ford aprovaram o estado de greve para preservar o emprego na unidade da montadora em Taubaté. A decisão foi tomada em assembleia, realizada na tarde desta terça-feira (6) pelos diretores do Comitê Sindical de Empresa (CSE), do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau).

De acordo com o coordenador do CSE da Ford, Sinvaldo Cruz, o estado de greve é uma forma preventiva para evitar demissões na planta. “Essa decisão é necessária no caso de a empresa dispensar algum trabalhador, que não seja por meio do PDV (Plano de Demissão Voluntária). O Sindicato está buscando dialogar sobre o excedente que a Ford alega ter e espera encontrar alternativas que não sejam demissões involuntárias.”

Em função das discussões com a Ford não terem evoluído de forma satisfatória, o Sindicato realizou a assembleia para garantir a deliberação da plenária realizada no dia 2 de setembro. “Nessa data, os trabalhadores votaram pelo PDV e outras mobilizações, inclusive pelo estado de greve como forma de resistência a qualquer tipo de demissão.”

Sinvaldo Cruz explicou que o Sindicato vem tentando encontrar uma solução com a empresa para minimizar a situação. “O PDV não deixa de ser uma demissão, porém é uma opção menos agressiva. Vamos continuar buscando caminhos para manter nossos empregos.”

Licença remunerada

Segundo o representante do CSE e membro da executiva da FEM (Federação de Sindicatos dos Metalúrgicos da CUT/SP), Milson Antunes, a unidade da Ford Taubaté implantou a licença remunerada que é uma medida que possibilita também a administração do excedente. Ele reforçou que todo o CSE e a estrutura do Sindicato, como o departamento jurídico, estão à disposição de qualquer trabalhador que precisar de orientações ou respaldo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *